Manuel Gusmão: um dia farto

Sexta-feira, no Ipsilon, Pedro Mexia assinou uma recensão de Finisterra. O Trabalho do Fim: reCitar a Origem, com o título «Descrições de Descrições». Mexia atribui 5 estrelas ao livro (o que nos parece muito justo) e termina assim o seu texto:

É uma leitura excelente porque se trata do romance português que talvez mais se decida nos modos de o ler. Manuel Gusmão tem regressado vezes sem conta a estes textos, que também ensinou como professor, e continua fascinado com o seu carácter resistente e interpelante. «O Trabalho do Fim» é um trabalho sem fim, que se faz de um aturado «close reading» e que retoma a estratégia do próprio romance: acumular descrições. E é impossível esquecer que um dos mais agudos marxistas italianos tem um livro de ensaios chamado «Descrições de Descrições».

No mesmo dia soube-se que Manuel Gusmão venceu o Prémio DST de Literatura de 2009 com o seu livro de poemas A Terceira Mão. Recordamos que o nosso livro mais recente, Jorge de Sena e Camões. Trinta Anos de Amor e Melancolia, de Vítor Aguiar e Silva, foi patrocinado pela mesma DST.

A Manuel Gusmão apresentamos naturalmente as nossas mais vivas felicitações.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: