Algumas reacções mais ao «Caderno de Memórias Coloniais»

O Caderno de Memórias Coloniais, de Isabela Figueiredo, continua a suscitar reacções elogiosas. Eis as últimas. No blogue A Natureza do Mal, Luís Januário aborda o livro, em post intitulado Enfim Isabela. Um excerto:

O livro não tem similar na escrita em português contemporâneo. Uma mulher recorda o pai. E nós podemos ver esse homem, cheirá-lo, sentir-lhe a presença. O livro é sobre uma traição fundamental e sobre uma questão fundamental, que não revelarei aos possíveis leitores.

No site do JL, Luís Ricardo Duarte publica uma recensão do livro, sob o título Uma Infância Colonial, de que extraímos também um pedaço significativo:

Isabela Figueiredo não tem medo das palavras. De contar as coisas como elas eram e como as viu. De desenterrar comportamentos e limpá-los do discurso politicamente correcto. E ninguém escapa ao seu olhar conscientemente inocente, em particular a sua família. Sendo uma autobiografia, não foge às memórias fundadoras da sua personalidade. A descoberta da sexualidade, a sua e a dos seus pais, das discrepâncias sociais, da hipocrisia, das infidelidades, dos preconceitos, dos hábitos e costumes, dos passeios e das esplanadas, do Cinema e da Literatura, essa arma de destruição massiva de irrealidades

P.S. Sem prejuízo de informação mais detalhada nos próximos dias, informamos desde já que no próximo dia 6 de Março, sábado, na FNAC do NorteShopping, Porto, o livro de Isabela Figueiredo será apresentado por Ana Luísa Amaral.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: